revista fevereiro - "política, teoria, cultura"

   POLÍTICATEORIACULTURA                                                                                                     ISSN 2236-2037

apresentao

 

Em seu quarto nmero, Fevereiro retoma um debate que, mal ocorrida a (nova) catstrofe que o trouxe tona, j parece cair estrategicamente no esquecimento. Por que voltar ao tema da energia nuclear, quase dez meses depois de Fukushima-Daiichi? O fato que, lembrado ou no, o nuclear continua a, suscitando projetos de substituio ou encorajamento, de civis ou de militares, de esquerda ou de direita, no Brasil e no mundo. No vale a pena analisar o que est em jogo (e o que se esconde) nessas polticas nucleares? Como o leitor ver no pequeno dossi montado pela Fevereiro, a opo nuclear no envolve aspectos apenas tcnicos (embora tambm os tenha), mas guarda em si um alcance eminentemente poltico, nem sempre posto a nu pelos interessados na pauta. Que decises polticas se armam por detrs do nuclear? Que formaes ideolgicas produzem sua justificativa? Neste nmero, com a contribuio dos especialistas Sidney Rebello e Lus Carlos de Menezes – alm de Ruy Fausto, editor de Fevereiro –, procuramos distender o fio do problema, expondo seu lado tcnico assim como seu n poltico.

Fevereiro ainda se debrua sobre poltica nacional. O livro recentemente lanado de Lincoln Secco, A histria do PT, d ensejo a uma entrevista com o historiador e, neste mesmo nmero, a uma resenha por Alexandre Carrasco. E o debate – ao qual infelizmente no se costuma dar muita relevncia – sobre polticas inclusivas vem pauta num artigo de Fbio Adiron, sobre a situao das pessoas com deficincia.

Mas para alm de poltica nacional e anlises de conjuntura, Fevereiro abre espao em seguida para textos mais reflexivos e de vis, por assim dizer, mais universalizantes. o caso do artigo de Ruy Fausto sobre direita e esquerda, cuja publicao iniciamos no terceiro nmero de Fevereiro e esperamos concluir no prximo nmero da revista. Ainda sobre histria e poltica, Fevereiro traz uma resenha crtica de Ccero Arajo sobre o livro de Domenico Losurdo, Stlin, histria e crtica de uma lenda negra. E, para finalizar, filosofia poltica e esttica se cruzam num artigo de Ana Portich sobre Grotius e o teatro na virada de sculos XVI/XVII.

A seo literria deste nmero 4 traz um conto de Alexandre Carrasco, e um poema de Louis Aragon, Les lilas et les roses, traduzido e apresentado por Marcela Vieira.

A seo em lngua estrangeira publica um artigo de Daniel Golovaty sobre o conflito Israel-Palestina, j publicado em portugus no primeiro nmero de Fevereiro, traduzido para o ingls por Ana Elisa Assumpo de Pinho, Renata Massami Hirota e Tiago Aguiar Franco de Oliveira. Com a seo em lngua estrangeira, esperamos ampliar nosso espectro de leitores e interlocutores no campo da esquerda democrtica.

Fevereiro tem o prazer de anunciar aos leitores que est finalizando a montagem de um blog da revista, com a inteno de disponibilizar mais geis intervenes. De fato, com o blog, ser possvel participar diretamente nos debates sobre os acontecimentos em processo, sem prejuzo, claro, dos textos mais reflexivos que se encontraro em cada novo nmero.

Compartilhado





























fevereiro #

4