revista fevereiro - "política, teoria, cultura"

   POLÍTICATEORIACULTURA                                                                                                     ISSN 2236-2037

Daniela MOUNTIAN

leonid dobtchin

 

nota biogrfica

 

Como acontece em grande parte dos contos de Leonid Dobtchin (18941936), em “O marinheiro” (1927) vislumbramos a iconografia que nascia com a Rssia sovitica contraposta a cenas de um cotidiano miniaturizado, grotesco e provincial, no qual gatunos roubam roupa de baixo e vacas so conduzidas pelas ruas da cidade. Entre estandartes e Pioneiros surge a imagem majestosa do marinheiro perpassada pelo olhar pueril de Liochka, que v nos msculos inflados daquele o po branco tranado da casa de ch de Silibina. Os enredos dos contos de Dobtchin obliteramse, so superados por imagens flutuantes como as reiteradas bandeiras sobre as cabeas de seus heris amorfos, quase vultos, ora atropelados por um desfile, ora sozinhos sob uma meialua furtiva, pesada e opaca.


Leonid Dobtchin, ao lado de nomes como Daniil Kharms (19051942), Evguni Zamitin (18841937) e Boris Pilnik (18941937), foi um dos expoentes do modernismo russo, por muitos comparado a Velmir Khlibnikov (18851922) e Bruno Schulz (18921942).


Leonid Ivnovitch Dobtchin nasceu em Dvinsk (atual Daugavpils, Letnia) no ano de 1894. Nada se sabe de sua infncia, a no ser que perdeu o pai, um mdico, ainda menino. Ele formouse no Instituto Politcnico de So Petersburgo e por quase toda a vida trabalhou como estatstico em cidades do norte da Letnia e da Rssia, dividindo quartos de solteiro com a me, que era parteira, um irmo e duas irms. Distante de Petersburgo, ele se manteve numa vida solitria – seu contato com o mundo literrio resumiuse s correspondncias que trocava com seu editor e com o escritor Kornei Tchukvski (18821969). Somente aos 40 anos, pde escrever numa escrivaninha prpria, quando recebeu da Unio dos Escritores um quarto num apartamento comunal de Petersburgo, ento Leningrado.


O motivo de sua morte permanece desconhecido, suspeitase de suicdio. Em janeiro de 1936, numa reunio da Unio dos Escritores de Leningrado, logo depois do repdio pblico de Stlin ao compositor Chostakvski, Dobtchin, acusado de ser o maior “formalista” entre os escritores e politicamente mope, foi considerado um inimigo da classe, fato que, talvez, tenha sido agravado por sua homossexualidade e pela figura um tanto voluntariosa. Ele defendeuse de todas as acusaes e desapareceu no dia seguinte. Nunca mais ningum o viu.


Em vida, Dobtchin publicou duas coletneas de contos, Encontros com Liz (1927) e O retrato (1931) – reunidos no livro Encontros com Liz e outras histrias (Kalinka, 2009) – e o romance A Cidade N (1935). Escreveu mais dois livros, publicados anos depois de sua morte, Os Selvagens (1989) e O Cl do Churka (1993), que recebeu o prmio “Internacional Book of the Year” do Times Literary Supplement de 1994.


Hoje aclamado mundialmente, o nome de Leonid Dobtchin desapareceu na dcada de 1930 e s foi redescoberto depois de 1990, junto com uma safra de escritores modernistas russos obscurecida pela censura da era stalinista.

Compartilhado





























fevereiro #

2

Clique aqui para ir ao conto